Deputado Glaycon Franco presidiu Audiência Pública e promoveu ações de proteção ao Parque Estadual Serra do Ouro Branco

A Audiência Pública solicitada pelo deputado estadual Glaycon Franco, aconteceu no dia 06 de outubro, no município de Ouro Branco. A reunião teve o objetivo de debater, com a presença de convidados especialistas da região, novos meios de preservar o Parque, que fica localizado entre os municípios de Ouro Branco e Ouro Preto, no total de 7.520 hectares.

Logo no início da reunião, foi feito um minuto de silêncio em homenagem as vítimas da creche de Janaúba, no dia 5 de outubro. Em seguida, o deputado convidou para compor a mesa de honra, os deputados estaduais, Coronel Piccinini e Thiago Cota, o prefeito de Ouro Branco, Hélio Márcio Campos, e o seu vice-prefeito, Celso Roberto Vaz, os vereadores de Ouro Branco, Nilma Aparecida Silva e Carlos Roberto Pereira, o promotor de Justiça, Dr. José Lourdes de São José, o Gerente de Criação e Implantação de Unidades de Conservação do IEF, Paulo Fernandes Scheid, o comandante dos bombeiros em Lafaiete, representando o CBMMG, Cap. Ronaldo Rosa de Lima, o encarregado de sistemas da Copasa, Elcimar Fernando de Oliveira, a Assessora de Meio Ambiente da Secretaria Municipal de Obras de Ouro Branco, Luciana Fernandes Novaes, o presidente do Codema – Conselho Municipal do Meio Ambiente de Ouro Branco, Vasco de Natal Coelho, o presidente da Arpa – Associação Regional de Proteção Ambiental, Itamar José de Oliveira, além dos representantes das empresas: Diogo Félcar Saraiva, especialista de sustentabilidade da Gerdau S.A., José Ricardo Coutinho Ruffo, analista de relações institucionais da Ferrous e Humberto Guimarães Quiossa, analista de meio ambiente da CSN Mineração.

Glaycon iniciou ressaltando a importância do parque para toda a região e sobre a real necessidade de sua efetiva implantação, cujo plano de manejo já está aprovado. Afirmou, ainda que, somente com a união entre o poder público e as empresas, e com mais investimentos em equipamentos, pesquisas e treinamentos, será possível realizar um trabalho mais efetivo em favor do parque. Glaycon destacou a importância dos voluntários que atuaram no mês de setembro no combate ao incêndio. Segundo o parlamentar, o incêndio do parque custou aos cofres públicos mais de 1 milhão de reais, valor que poderia ter sido investido de uma outra maneira no parque, seja com trabalhos de prevenção, manutenção ou expansão das atividades que já são realizadas no local.

O prefeito Hélio agradeceu a iniciativa do deputado Glaycon em solicitar a audiência e falou do seu desejo que toda reunião fosse bem objetiva para que seja possível executar as ações de proteção e investimentos, como, por exemplo, portaria na entrada do parque e instalação de torres de monitoramento. Hélio também declarou que conta com as ajudas do deputado Glaycon e das empresas CSN, Ferrous e Guerdau que, hoje, possuem 80% da área do parque.

Em seguida, Glaycon convidou a gerente do Parque Estadual Serra de Ouro Branco, Letícia Dornelas que elogiou a ação do deputado pela realização da reunião. Letícia fez uma apresentação do planejamento do parque que foi criado em 2009, com o objetivo de proteger as nascentes, a biodiversidade além de ser o patrimônio arqueológico e histórico da região.

Letícia apresentou pontos positivos e negativos em relação ao que vem sendo realizado no parque. Entre os pontos negativos, apontou a má condição da estrada responsável pelo trajeto em todo parque, o que dificulta bastante o trabalho no local. Outro ponto negativo apresentado foi que o turismo desordenado nas dependências da serra faz com que muitos deixem resíduos, afetando as nascentes e podendo até causar incêndios.

O promotor de Justiça de Ouro Branco, José Lourdes lembrou que, para ajudar na proteção do parque é necessário repensar nas penas para os crimes de incêndio provocados. Para o promotor, não foi boa a redução de pena de 4 a 8 anos para 2 a 4 anos para as pessoas que cometem esse crime.

Segundo o gerente do IEF, Paulo Scheid, o Estado investirá mais na conservação do parque, e que um dos grandes desafios do IEF é a regularização fundiária e a falta de estrutura de trabalho, não sendo suficiente para realizar um trabalho necessário.

O capitão Ronaldo salientou a importância da reunião solicitada pelo deputado Glaycon Franco e que o trabalho da 2ª Cia de Conselheiro Lafaiete abrange outras 20 cidades do Território das Vertentes e, por conta do clima seco, muitos incêndios vem ocorrendo e prejudicando a saúde da população, colocando em risco as rodovias, causando a queda de árvores e bloqueios de vias, resultando em acidentes e prejudicando o trabalho de socorro, seja de pessoas ou de animais. Segundo o comandante, é difícil identificar os autores dos crimes de incêndio; por isso, é importante trabalhar na educação das crianças, preparação dos professores e providenciar para que as escolas tenham cartilhas de instrução sobre educação ambiental. “Eu acho que a educação é o segredo para a gente vencer esses crimes ambientais. O primeiro passo é a educação nas escolas, igrejas, nas mídias para levar nas comunidades e sensibilizando as pessoas que os principais prejudicados somos nós. As consequências dos danos ambientais vai muito além”, destacou Ronaldo.

Após todas as falas, o deputado Glaycon Franco solicitou aos representantes das empresas que levassem para as suas diretorias as informações apresentadas durante a audiência, propondo-se a promover uma reunião de trabalho para o prosseguimento das ações. “Existem muitos proprietários particulares da serra mas a maior parte pertence às empresas, por isso eu, como presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável na ALMG, estarei sempre em prontidão para ajudar no que for possível para que possamos dar andamento nessas questões e possamos materializar a implantação do parque. Já se passaram 8 anos e muito pouco foi feito”, concluiu o deputado.

Na medida que os representantes foram se posicionando na reunião, o deputado Glaycon Franco foi anotando os pedidos e, em seguida, apresentou diversos requerimentos que serão encaminhados pela Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

As instituições envolvidas, comprometidas com o parque, sentiram a importância das discussões e se declararam dispostas a contribuir para a efetiva implantação do Parque Estadual da Serra do Ouro Branco.